Trabalho noturno: repercussões sobre a saúde e a subjetividade

Samara Posser, Liana Bohrer Berni, Elisete Soares Traesel

Resumo


Neste estudo qualitativo aborda-se o trabalho noturno de porteiros e vigilantes na escala 12x36, propondo contextualizar como é o seu cotidiano, rotina, convivência familiar e social, e os momentos de lazer. Também pretende entender o ciclo sono-vigília e investigar formas de enfrentamento e prevenção dos possíveis efeitos deste turno sobre a saúde do trabalhador. Realizaram-se entrevistas focalizadas cujos dados analisados seguiram a análise de conteúdo. Os resultados mostram que esses trabalhadores optaram pelo turno devido ao adicional noturno do salário, o qual foi considerado um diferencial comparado ao turno diurno, e também para poderem exercer outra atividade durante o dia. Todavia, apresentaram dificuldades para se adaptarem, revelando interferências nas relações familiares, pois houve uma reorganização no meio familiar aos momentos de lazer e ao convívio interno. Muitos trabalhadores utilizam mecanismos de defesa para escoar os impactos negativos que as condições de trabalho produzem em suas vidas.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


OUTRAS PUBLICAÇÕES DO CENTRO UNIVERSITÁRIO FRANCISCANO

 

Artes, Letras e ComunicaçãoCiências da SaúdeCiências HumanasCiências Naturais e Tecnológicas

Ciências Sociais AplicadasThaumazeinVidya

.........................................................................................................................................................................................................................

INDEXADA EM:


 

Os artigos publicados não expressam necessariamente a opinião da revista e são de responsabilidade exclusiva dos autores.

Todos os custos são cobertos pelo Centro Universitário Franciscano.


Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License.