O nominalismo terminista de Guilherme de Ockham e a tríplice divisão da linguagem

Francisco Ruas Neto, Márcio Paulo Cenci

Resumo


Neste trabalho, o objetivo foi tratar do que Guilherme de Ockham entende por Linguagem Mental. A Lógica dos Termos e a Questão 12 das Quodlibet Tertium, da Opera Theologica,  foram utilizadas como obras primárias para o referido estudo. A metodologia da pesquisa é a análise conceitual. Como obras secundárias, Michon, Ghisalberti, Leite e Kenny foram os comentadores mais utilizados. Para o desenvolvimento do objetivo, foi necessário retomar o problema acerca dos universais, mostrando a ligação existente entre a linguagem convencional e a linguagem mental, pela significação. A conclusão é que a teoria da linguagem de Ockham é um tipo de nominalismo terminista.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


OUTRAS PUBLICAÇÕES DO CENTRO UNIVERSITÁRIO FRANCISCANO

 

Artes, Letras e ComunicaçãoCiências da SaúdeCiências HumanasCiências Naturais e Tecnológicas

Ciências Sociais AplicadasThaumazeinVidya

.........................................................................................................................................................................................................................

INDEXADA EM:


 

Os artigos publicados não expressam necessariamente a opinião da revista e são de responsabilidade exclusiva dos autores.

Todos os custos são cobertos pelo Centro Universitário Franciscano.


Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License.